Falando sobre drogas: Temos um problema de saúde pública quando o álcool é glamourizado

Falando sobre drogas: Temos um problema de saúde pública quando o álcool é glamourizado

Muitas coisas equivocadas são ditas sobre drogas, dentre elas, que a maconha é pior do que o álcool, este último, glamourizado por meio de veículos publicitários como algo benéfico para o seu bem-estar social. O álcool é sim uma droga, uma vez que entendemos droga como substancia psicoativa que atua no sistema nervoso central alterando a forma da pessoa pensar, agir e falar. O álcool faz parte do grupo de drogas depressoras por diminuírem as funções vitais, apesar de seu efeito inicial ser estimulante, e é sobre essa droga tão venenosa que iremos falar hoje no Falando sobre drogas.


"Melhor beber cerveja do que ser maconheiro"


Esse é um discurso carregado de ignorância a respeito das duas drogas. Um estudo publicado na "Scientific Reports", subsidiária da revista "Nature", procurou quantificar o risco de morte associado ao uso de várias substâncias tóxicas. Os cientistas descobriram que a maconha é, de longe, a droga mais segura, enquanto a cerveja que a TV mostra como "gostosa", lidera o ranking junto com heroína, cocaína e tabaco.

Existem tantas concepções erradas com relação ao uso das drogas, o que dificulta o desenvolvimento de políticas inteligentes, o álcool é a droga que mais mata no Brasil, as mortes vão desde problemas na saúde (doença hepática, envenenamento) a acidentes no transito e problemas de agressões. Alcoolismo é a terceira doença que mais mata no mundo, no Brasil, 90% das internações em hospitais psiquiátricos por dependência de drogas, acontecem devido ao álcool. 

Efeito da droga


Ao chegar no cérebro, o álcool estimula os neurônios e libera mais serotonina, que é um neurotransmissor que atua no cérebro regulando o humor, sono, apetite, ritmo cardíaco, temperatura corporal, sensibilidade a dor, movimentos e as funções intelectuais. Ao continuar bebendo, o álcool atinge o GABA diminuindo assim a coordenação e até o autocontrole. A bebida irrita a mucosa do estomago, dificultando a digestão e aumentando a produção de ácidos, gerando enjoos e mal estar e o individuo acaba vomitando para eliminar o desconforto.

Classificação dos efeitos do álcool

1º Euforia, sensação de liberdade, falta de coordenação motora e reflexos mais lentos.

2º Sonolência, lentidão, falta de coordenação motora mais acentuada e reflexos ainda mais lentos.

3º Mal-estar, náuseas, vômitos e dor de cabeça.

Se cura ressaca bebendo mais ainda?

Isso é um mito! É extremamente importante estar hidratado durante a ingestão do álcool, uma dica é, beber um copo de água a cada um de álcool e ingerir muito líquido no dia seguinte, pois isso ajuda a eliminar pela a urina as toxinas que restam no corpo. O álcool age na hipófase inibindo a produção de um hormônio que controla a absorção de águas pelos rins, sendo assim, acontece uma grande eliminação de urina. 

Como ocorre a absorção

Após ser ingerido o álcool começa a ser absorvido na parede do estomago , e o restante no intestino delgado. Cerca de 90% do álcool ingerido é absorvido, e a eliminação dependendo do metabolismo dura em média uma hora para cada dose. A absorção depende de vários fatores, ela é mais rápida quando a bebida tem uma concentração de álcool de 20 a 30% e também quando o estomago está vazio, essa história de beber sem ter comido nada realmente não dá certo ok? Uma dica é se alimentar com comidas ricas em carboidratos pois elas retardam a absorção, coma pães, batata frita, e mandioca frita. Evite: frios (salame, presunto e mortadela) e linguiça acebolada. 

Consequências do uso recreativo e abusivo

O indivíduo pode usar o álcool para: parecer adulto, escapar de um problema ou relaxar, como revolta, para pertencer a um grupo, ou apenas para experimentar. A presença dessa droga está enraizada na nossa cultura como algo divertido, as pessoas associam a ideia de alegria numa festa por exemplo, apenas se tiver a presença de uma cervejinha ou uma boa vodca. Não irei usar um discurso moralista de que usar a droga seja ela qual for é ruim, o efeito inicial é muito bom, caso contrário, ninguém usaria, porém, como é uma alegria temporária, existem as consequências que acarretam direto na nossa saúde física, mental e espiritual. 

Alguns efeitos a curto prazo podem acarretar dores de cabeça, inconsciência, blackouts e até coma, esse ultimo caso pode acontecer porque o nosso fígado tem uma reserva de glicose que funciona como uma espécie de tanque de energia alternativa. Quando alguém bebe em excesso, ele usa esse estoque a pessoa pode entrar em coma alcoólico, resultando de uma queda acentuada da glicose no cérebro. Se a pessoa suar frio, ficar tonta e chegar a perder a consciência, deve ser levada imediatamente a um pronto-socorro para receber glicose na veia.

Os efeitos de longo prazo são: aumento dos problemas familiares, danos cerebrais permanentes, problemas no trabalho, entre outros.

Alcoolista, eu?


É extremamente importante, salientar que o termo alcoólatra não é mais usado, o termo correto é alcoolista, por ser menos carregado de valoração, isto é, de estigma. 

Usar álcool todo fim de semana não caracteriza uma dependência, devemos ter cuidado nos nossos julgamentos, pois a dependência química é uma doença multifatorial, e para designar se uma pessoa tem a dependência do álcool é preciso prestar atenção em quatro sintomas:

1. Desejo forte, ansiedade: forte necessidade de beber.

2. Perda de controle: A pessoa não consegue limitar a forma de beber.

3. Dependência física: sintomas de abstinência tais como náuseas, suores, tremores e ansiedade quando o uso é interrompido após um período de excesso na bebida.

4. Tolerância: A necessidade de beber grandes quantidades de álcool.

Oferecer ajuda a um dependente de álcool é um fator que contribui para a sua melhora, é um assunto importante de saúde pública que vamos comentar bastante aqui no blog.

Dica pra assistir:




Falando sobre drogas: Temos um problema de saúde pública quando o álcool é glamourizado Falando sobre drogas: Temos um problema de saúde pública quando o álcool é glamourizado Reviewed by Fala Berenice on 13:07:00 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.