recent posts

banner image

O que acontece quando 4 Little Monsters se juntam pra falar da Gaga no Super Bowl

O que acontece quando 4 Little Monsters se juntam pra falar da Gaga no Super Bowl

Sou um grande fã de música pop, minha infância foi repleta principalmente de Michael Jackson, que pra mim, fez o melhor show de intervalo do Super Bowl, sendo o pioneiro em transformar o palco do evento em algo icônico. Muitos artistas tendo Michael como influencia fizeram do Halftime Show um momento inesquecível, Madonna por exemplo, trouxe uma abertura de cair o queixo inspirada em Cleópatra, Beyoncé e Bruno Mars mostraram que são os melhores dançarinos dessa década, e agora, Lady Gaga entrou para a lista de shows mais “ridículos” da história.
 

Convidei alguns Little Monsters para comentar junto comigo sobre os pontos altos da Mother, da abertura a o touchdown do 51º Halftime Show.


A Abertura

Proxasca voadora

Berenice: Os drones complementou de maneira graciosa a música de inicio, dando a ela sutileza na critica ao Trump, Estados Unidos é um pais de liberdade e justiça. Confesso que fiquei morrendo de medo, Gaga pulando de uma altura com a perereca pro ar me fez pular da cama, mas foi um dos momentos mais épicos de sua carreira. Quando ela desceu e começou a tocar o instrumental de Dance In The Dark e um trechinho de Paparazzi percebi o quanto a música da Gaga tem personalidade, é algo poderoso e com personalidade, e foi genial ela gritar “I'm on the edge” porque aquele momento era a beira da glória para Gaga e os monsters.

Antonio: A abertura eu achei única e super diferenciada. Ninguém nunca, jamais pensou em cantar no teto do Super Bowl nem nunca imaginaria. Somente LADY GAGA seria capaz de pensar nesse marco. Os drones formando a bandeira americana enquanto ela cantava trecho do hino super lindo e emocionante.

Vitor: Eu amei a Bey, Michael, mas a show do intervalo do Super Bowl da Gaga foi o mais icônico. Mostrou quem é Lady Gaga desde o início da carreira: Incansável, visionária e determinada. A performance teve tudo que um grande show pop poderia ter, abertura insana!!!

Setlist

Um hino desses bicho

Berenice: Um pouco (bem pouco mesmo) de Dance In The Dark, Paparazzi e The Edge Of Glory fez um bem danado antes dela fazer carão pra Poker Face! A Setlist foi de uma energia tão grande que foi impossível assistir sem dançar junto com Gaga e seus dançarinos, e o momento calmo ao som de Million Reasons mostrou mais uma vez a versatilidade de uma artista completa.

Antonio: A setlist achei muito bem escolhida. Não se pode sentir falta de alguma música ou querer que ela tivesse cantado certa musica afinal se ela fosse cantar todos os singles/hinos de sua carreira teria que ser mais de 1 hora de show né verdade?

Vitor: Setlist perfeito!

Performance

Pronta pra cantar 'Parida assim'

Berenice: Gaga nunca me decepcionou quando o assunto é presença de palco e voz, muito pelo contrário, a cada ‘ERA’ é impossível não notar a evolução de sua voz e dança, fazendo dela, com certeza, a melhor performer da atualidade, e talvez a que mais trabalha pra dar o melhor de si no palco.

Antonio: A performance foi maravilhosa. Ela aproveitou bem todo o espaço. Melhor parte na minha opinião foi ela cantando e closando Poker Face em cima daquela “torre”, mas também quando ela desce pra cantar Telephone com aquele telefone perfeito e logo em seguida o discostick PQP gritei muito!!! E quando ela cantou a "minha música" BORN THIS WAY, AAAAAAAAH! Geeenteee!

Vitor: Voz poderosa até o final, coreografia criativamente marcada, estrutura do palco impecável, muita tecnologia e uma linda mensagem para o mundo. Desde 2008, já podíamos ver o fogo nos olhos daquela garota que estava sedenta por ser a melhor performer do século XXI. E ver a Gaga dominar o palco do Super Bowl por 13 minutos foi uma verdadeira celebração desses 8 anos de carreira.

Touchdown

Pulando em cima da cara dos haters

Berenice: Bad Romance é o maior hino pop dessa década, uma música que marcou uma geração e influência até hoje muitos músicos. Finalizar com esse single foi uma escolha perfeita pra retomar a energia deixada em Million Reasons. Os vocais impecáveis junto com o palco que se encaixou perfeitamente com a coreografia, figurino e animação do público. Gaga mostrou de forma crua e ao mesmo tempo com uma magnitude a melhor performance feminina feita no Super Bowl, foi de uma coragem e talento sem tamanho. Com referências a shows clássicos de rock anos 80 e ao mesmo tempo com um ar futurista, Gaga criou um show com o objetivo de fazer todos se abraçarem e se divertirem, e ela conseguiu.

Antonio: Finalizando com BAD ROMANCE e aquela super saída. Tente conseguir ideia pra uma melhor saída e falhe! Bjux #GagaRainha.

Vitor: Eu sinto como se o show do intervalo do Super Bowl fosse uma conquista NOSSA, dos little monsters que estão com ela até hoje, que testemunharam momentos de alegria e tristeza e mesmo assim continuaram lá, que compreendem as mudanças da Gaga era após era e que sabem o que realmente importa. PAWS UP!

Ah, e o Doutor Maravilha que é muito Little Monster sim, não podia deixar de comentar para o blog sobre o lacre! Ouça abaixo:



E você, o que achou da performance da Gaga?
O que acontece quando 4 Little Monsters se juntam pra falar da Gaga no Super Bowl O que acontece quando 4 Little Monsters se juntam pra falar da Gaga no Super Bowl Reviewed by Fala Berenice on 16:28:00 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.