As razões que levam crianças ao crime na análise do filme Redenção

As razões que levam crianças ao crime na análise do filme Redenção
Cena do filme Redenção - 2004

Ex-líder da gangue dos aleijados, Stan agora preso no corredor da morte devido a seus crimes, busca redenção enquanto aguarda sua pena de morte. No processo de libertação, Stanley Tookie Williams, com a ajuda da escritora e jornalista Barbara Becnel, começa a escrever livros para a nova geração de jovens e crianças refletirem e não entrarem no mundo do crime. Relembrando sua trágica e pobre criação em comunidades de fraco apoio governamental e carência de programas de assistência, Stan percebe que a violência só fez piorar o que já era horrível para ele e todos a sua volta. De forma delicada, o filme trata a questão da percepção social com uma crítica perspicaz sobre a ineficácia da pena de morte que não dá vez aos arrependidos recuperados e também a falta de políticas públicas que ajudem na estrutura familiar, força policial, e apoio ao núcleo familiar, a ausência de tudo isso só colabora para a criminalidade.



Stan aos 9 anos mudou-se para outro bairro, onde a violência acontecia constantemente por falta de segurança. As pessoas a sua volta colocavam as crianças para brigar, não demorou muito para ele ser agredido. Stan não consegue lidar com frustrações e essa ausência de limite consequentemente fez dele uma criança insegura, então para se sentir seguro ele entendeu que ou faria uma vítima ou seria uma.

Para os sociólogos, o crime é a resposta do indivíduo ao meio em que vive. E depende do cruzamento de vários fatores sociais. Entre eles, o excessivo padrão de um comportamento em uma sociedade que fez Stan achar aquilo natural e por pressão daquela sociedade e querendo aceitação, ele começou a agir da mesma forma. Já que nessa fase de adolescência, o indivíduo é particularmente frágil do ponto de vista psicológico e social, e como houve uma falha nesse processo gerou um enorme prejuízo para o indivíduo (Stan desenvolveu comportamento de risco) e sociedade (Stan criou uma gangue).

Como consequência, sua mãe não deseja mais cria-lo devido à o seu temperamento difícil, em outro momento mostra que o atual responsável, o pai, é extremamente ausente, isso proporciona a Stan um excesso de liberdade, e as questões como os locais e pessoas com aos quais os pais se relacionam e a separação deles, fortalece fatores familiares que normalmente fazem com que haja uma fuga do indivíduo para certos grupos sociais. 

O que reforça que é necessário políticas públicas voltadas para o emprego e desenvolvimento social e apoio ao núcleo familiar, uma vez que família desestruturada existe por conta dos males sociais. 

“O delinquente estereotipado converte-se num bode expiatório da sociedade. ” - Lola Aniyar de Castro

Uma cena deixa claro a visão de Stan sobre a desigualdade social, quando é perguntado o porquê que sua gangue estava matando também pessoas negras e pobres, ele diz que é por conta do ódio de si mesmo, devido a estereótipos que a sociedade cria sobre os negros colocando-os como analfabetos funcionais, promíscuos e ladrões, o que fez ele querer apagar os monstros que o persegue. Stan viu a violência como uma válvula de escape para punir a sociedade que criou esses estereótipos.

A recuperação de Stan foi um processo de percepção social (viu e interpretou o comportamento de indivíduos sendo essencial para sua interação social). 

Na primeira etapa: O comportamento de um presidiário e de uma escritora atingiu os seus sentidos. 

Na segunda: Foi quando o comportamento de ambos tendo atingido seus sentidos, começou a gerar a ação, fazendo ele rever e mudar seus preconceitos, valores, atitudes e outros questões sociais.


Referências bibliográficas: 

Webartigos.com

Portaleducação.com.br

Atenas.edu.br

As razões que levam crianças ao crime na análise do filme Redenção As razões que levam crianças ao crime na análise do filme Redenção Reviewed by Fala Berenice on 20:11:00 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.