Você receberia sangue doado por um gay?

Você receberia sangue doado por um gay?

Você receberia sangue doado por um gay? O Conte Sua História de hoje, traz um preconceito que infelizmente acontece com frequencia no meio LGBT, a Doação de Sangue. Foi enviada pelo leitor Vinny Corrá, e se você também tem uma história pra contar, envie para berenicefala@gmail.com .


Terça-Feira (14/06) foi o Dia Mundial do Doador de Sangue, há muita polêmica quando o assunto é homossexual doando sangue, ou melhor, tentando doar sangue. Após o recente atentado em Orlando quando um terrorista invadiu uma boate e disparou centenas de tiros no público LGBTQ, causando 50 mortos e 53 feridos, os amigos e parentes das vítimas se reuniram para fazer um mutirão de doação de sangue, lógico os paredes e amigos heteros conseguiram doar, já os gays foram barrados simplesmente por serem gays. Um absurdo em pleno século XXI essas coisas abomináveis ainda ocorrerem e ainda mais em países considerados primeiro mundo. O Brasil não fica de fora dessa, a legislação diz o mesmo que as normas dos EUA: “Homens que tenham mantido relações sexuais com outro homem no último ano não podem doar”.

Amigos assim como eu, já passaram por esse constrangimento na hora de doar sangue. Vou contar como funciona o processo de doação de sangue como olhar clínico e como paciente.

Para o paciente (doador) é só chegar bem alimentado, não precisa nem marcar hora, só procurar um hemonúcleo e fazer o cadastro e esperar na fila. Esse é o primeiro passo, após ficar na fila de espera uma enfermeira irá chamar para realizar um exame rápido de hemoglobina e hematócrito, junto com uma pesagem, logo após isso você ficara na fila novamente esperando o examinador chamar o seu nome. Quando o examinador o chama, ele irá fazer perguntas padrões como nome, idade, o motivo para fazer a doação, se você já doou antes, se tem problemas de saúde e etc.

Até que chega a parte do questionário que é mais íntimo, as perguntas são se você é heterossexual ou homossexual, quantos parceiros teve ao longo do ano, se você teve múltiplos parceiros em menos de 6 meses, se usou camisinha ou não com esses parceiros. A lei diz que homossexuais que tem relações com o mesmo parceiro a mais de um ano e usando camisinha PODE DOAR, mais isso não é o que realmente acontece, o examinador já sabendo que você é gay ele automaticamente diz que infelizmente você não poderá doar sangue por motivos de segurança do receptor. Mesmo que você diga a verdade que namora a 3 anos e só usa camisinha eles vão achar um motivo para recusá-lo.

Isso aconteceu comigo, mesmo namorando a muito tempo fui impedido de doar sangue, eu ainda rebati os argumentos pois trabalho na área da saúde e disse que tinha realizado meus exames recentemente e não tinha nenhum problema doar sangue, mesmo assim não deu certo e sai de lá muito triste e me sentindo discriminado.

O certo é não mentir nessas entrevistas pois são vidas que você irá salvar, e há muitas pessoas que mentem somente para ganhar atestado médico, mais caso o paciente tenha algo, essa bolsa é retida nos exames pré-requisitados lá mesmo no laboratório.

A visão de um doador gay é não poder ajudar o próximo apenas por ser gay, e olha que a saúde está muito avançada para isso ainda ocorrer, é simplesmente triste.


A visão do clínico que faz o exame é 50% seguir as normas, 20% gastos, 20% precaução 10% preconceito (isso na minha visão) não são todos os hemonúcleos que são preconceituosos e sim o gasto realizado pelo laboratório para fazer todos os exames naquele possível doador que na verdade mentiu ou fez sexo sem preservativo ou qualquer outro motivo. Uma bolsa de sangue chega a custar em torno de 2 mil reais para um hemonúcleo e coletar bolsas desses doadores que mentiram ou não relataram todas as verdades na entrevista causará um gasto absurdo a ser jogado no lixo, isso ocorre também em casos heterossexuais, mais a questão é que quase 100% dos homossexuais que dizem a verdade são rejeitados por preconceito ou precaução.

O preconceito contra os homossexuais entra quando são taxados de promíscuos, e não são só taxados assim, em hemonucleos são considerados "grupo de risco" em todos os estabelecimentos de saúde.

Acho que seguir à risca as normas são necessárias mais isso causa um enorme desperdício de sangue a ser capitado. Os órgãos de saúde devem começar a pesquisar novas técnicas para detecção de riscos e não sair excluindo os gays por serem gays.

O site wastedblood.com.br mostra a quantidade de pessoas em litros de sangue que poderiam ser aproveitados. Assista o vídeo:


Caso você leitor queira saber mais sobre doação de sangue e o desperdício no mundo LGBT, acesse o site super.abril.com.br.

Vamos todos doar sangue!

Você receberia sangue doado por um gay? Você receberia sangue doado por um gay? Reviewed by Fala Berenice on 09:56:00 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.