recent posts

banner image

Igreja gay? Entenda o real conceito da Kairós, que vem sendo seguido por muitos religiosos

Igreja gay? Entenda o real conceito da Kairós, que vem sendo seguido por muitos religiosos

Oi gente, tudo bom com vocês? Hoje meu dia foi beeem agitado, e no pra lá e pra cá recebi um panfleto de uma Igreja, até aí tudo bem, afinal, quem nunca recebeu no dia-a-dia né mesmo? Porém, ao ler me deparei com a pergunta: A Kairós é uma igreja "gay"?

Logo imaginei:
 
Igreja gay? Entenda o real conceito da Kairós, que vem sendo seguido por muitos religiosos
Beyoncé no coral
Mas depois de ler e entender tudo, simplesmente amei! Resolvi então escrever todo o panfleto aqui. É bem esclarecedor, e nos incentiva a estudar mais sobre o assunto Bíblia e Homossexualidade. Conhecimento nunca é demais.

A Kairós é uma igreja gay?

Não, somos uma igreja INCLUSIVA, (termo que abrange a inclusão de toda a diversidade humana, e não apenas sexual); trabalhamos para alcançar o público LGBT (gays, lésbicas, bissexuais e trans) pelo Evangelho de Cristo, mas heterossexuais também congregam conosco. Todos têm algo em comum: o desejo de servir e adorar ao Deus Verdadeiro que não faz acepção de pessoas. Somos pentecostais, temos a liberdade de servir a Deus com os dons espirituais concedidos pelo Espírito Santo.

Eu sou gay. Sou um erro?

Não, a orientação sexual (desejo: por quem se sente atraído, homens ou mulheres) não pode ser escolhida conscientemente por ninguém, ela nasce com a pessoa, assim como a cor dos olhos e da pele, e também não pode ser alterada posteriormente à sua descoberta, apenas aceita e trabalha. O gay não é produto de um erro na educação dada pelos pais, nem resultado de traumas passados, a homossexualidade não é um tipo de perversão sexual, nem contrária à natureza humana. Também não é uma possessão demoníaca. A homossexualidade, sobretudo, não é uma doença, isso é um fato comprovado e respaldado pela OMS - Organização Mundial de Saúde, que retirou a homossexualidade de sua lista de doenças mentais em Maio de 1990. Ninguém "vira" gay, pois, o gay não se faz, ele é.

Deus me ama como eu sou? Se ele se importa comigo por que me fez assim?

Sim, quando Deus criou todas as coisas ele viu que tudo o que havia feito era muito bom, Deus não erra, e ele te ama exatamente pelo fato de você ser quem você é, pois o que você é, todo o seu ser, foi ele quem criou. Não temos como explicar os propósitos de Deus, "acaso o barro pode dizer ao oleiro, por que me fizestes assim?". Mas a prova maior do amor de Deus é que ele enviou seu filho Jesus para morrer por cada um de nós, e o seu Espírito Santo testifica em nossos corações que pertencemos a Deus e que seremos salvos pela nossa fé em Jesus Cristo.

Mas se é assim, por que tantas pessoas condenam os homossexuais e utilizam a Bíblia para afirmar isso?

A Bíblia é o livro mais poderoso que existe, pois, é formadora de opiniões e a palavra de Deus. Entretanto, pessoas preconceituosas se utilizam de textos isolados da palavra de Deus para justificar o seu medo contra tudo aquilo que não conhecem bem, principalmente a homossexualidade. A Bíblia já foi usada para justificar guerras, atentados, mortes, escravidão e machismo. Porém, o erro não está na Bíblia, mas nas pessoas que a interpretam sob o prisma de seus próprios preconceitos, e utilizam da credibilidade e autoridade da Escritura para condenar pessoas que deveriam, antes de tudo, ser amadas e alcançadas pelas Boas Novas de Salvação através de Cristo, independente da "tribo, língua e nação" a qual pertença, pois, Deus se agrada daquele que Nele crê faz o que é correto aos seus olhos.

Mas e quando a Bíblia dizem em Gênesis 19, que Sodoma e Gomorra foram destruídas com fogo porque os seus moradores eram sodomitas (homossexuais)?

Isso é uma mentira inventada para pôr medo nas pessoas Sodoma e Gomorra foram destruídas por causa da sua arrogância, orgulho e violência que cometiam contra as pessoas, e a falta de hospitalidade com os estrangeiros, isso é confirmado no livro de Ezequiel 46:9. As estatísticas apontam que qualquer população é composta por 10% (média) de homossexuais. Eles são minoria e não maioria. Sendo assim, como poderiam "todos os homens daquelas cidades, desde o mais moço até o mais velho serem gays? Como é que Ló morando naquela cidade teria genros? E como a cidade seria grande e populosa sem casais heterossexuais? E por que ofereceu as filhas na tentativa de aplacar o ataque daqueles homens à sua casa, ao invés de oferecer-se a si mesmo, ou os genros, se aqueles homens violentos eram, como diz o mito, "gays"? O que ocorre em Gênesis 19 é uma tentativa de abuso sexual. A orientação sexual de uma pessoa não define seu caráter ou se ela é orgulhosa e violenta. Ser homossexual é ser estuprador? É obvio que não. O abuso sexual sim é pecado, quer cometido contra homens, quer contra mulheres, como ocorre em Juízes 19, entretanto, o último caso não é utilizado para condenar a heterossexualidade, nem para pôr em dúvida o amor entre duas pessoas do sexo oposto, como fazem com a homossexualidade e ao amor entre iguais.

Mas em Levítico 18:22 e 20:13 é dito que "se um homem se deitar com outro homem, como se fosse mulher, ambos fizeram abominação"! E aí, o que me diz disso?

O livro Levítico teve a função de moralizar o Povo de Israel, que havia passado mais de 400 anos em escravidão no Egito, estabelecendo regras para o convívio harmonioso entre Deus e os homens, e homens entre si. Deus queria que seu povo tivesse um comportamento diferenciado, não apenas social, mas principalmente religioso, das pessoas que habitavam na terra de Canaã e serviam muitos falsos deuses. Os povos cananeus acreditavam que através das relações sexuais eles poderiam agradar seus deuses e garantir a fertilidade de suas mulheres, gados e campos. O sexo era parte do culto, e havia pessoas separadas para esse ofício chamados de prostitutos (as) cultuais (uma tradução traz - sodomitas e rameiras Dt 23: 17, 18), havia coito entre homens, mulheres e animais. Desde o início do capítulo 18, o autor fala das práticas religiosas dos cananeus, muito comum nos cultos aos deuses da fertilidade; e Deus não queria que seu povo copiasse aquelas práticas para o seu culto. A palavra em hebraico para abominação é to evah, que significa uma ofensa religiosa, e é sempre utilizada para se referir à idolatria. Hoje, nenhuma forma de sexo tem a conotação mística que tinha para os povos cananeus, seja homo ou hétero, e a orientação sexual de uma pessoa não determina se ela adorará ao Deus verdadeiro ou a falsos deuses.

Mas Paulo diz que o sexo entre homens, e o sexo entre mulheres é antinatural (e, portanto) condenado por Deus (Rm 1:27), e também que os sodomitas e os efeminados não herdarão o reino de Deus (I Co 6:9, 10). Ele estava falando dos gays nessa passagem, não estava?

Paulo fala, em primeiro lugar, de pessoas que não se importaram em ter conhecimento de Deus e seguiram os cultos idolatras onde havia, semelhantemente aos antigos cultos cananeus, o  sexo entre homens e homens, homens e mulheres, homens e animais, mulheres e mulheres, e mulheres e animais, como formula mística. Para os Judeus, como Paulo, todo forma de sexo que não tinha a procriação como finalidade era considerada antinatural e não sendo incentivadas. As práticas orgíacas dos cultos romanos não tinham a intenção de gerar filho, mas era uma expressão ritualística de culto aos deuses pagãos. Da mesma forma, quando escreve aos coríntios, Paulo está se referindo aos costumes da época, pois, naquela cidade havia muitos templos idólatras, e o mais infame era dedicado à Afrodite Pândemos (de todo o povo), onde mulheres virgens casadas, tinham obrigação religiosidade de se apresentarem uma vez ao ano, para oferecerem seus corpos como oferenda à deusa, para que os viajantes ao passarem pelo Porto de Corinto, as possuíssem. A prostituição nesses cultos era vista com naturalidade, praticada tanto por homens como por mulheres. As palavras gregas originais que foram traduzidas por efeminado e sodomita, são respectivamente malakoi e arsenokoitai. Embora haja muita discordância entre teólogos e estudiosos sobre esses termos, pode-se dizer que malakoi (efeminado) refere-se às pessoas entregues aos próprios desejos, lascivas; e arsenokoitai (sodomita) àqueles que se entregam ou se servem de prostituição (como é o caso registrado também em I Timóteo). A Bíblia de Jerusalém, considerada uma das melhores traduções das Escrituras, traz apenas depravados e pessoas de costumes infames, em lugar de efeminados e sodomitas. Como vimos, os sodomitas não eram gays, mas homens violentos que tentaram abusar publicamente dos mensageiros de Deus. Essa expressão só passou a ser usada para se referir a homossexuais no século XIII, por Tomás de Aquino. A palavra sodomita em outras passagens como 2 Reis 23:7 é usada para se referir aos prostitutos cultuais. Note também que nem todo gay é afeminado, ou vive da prostituição. Mesmo na natureza, reino animal, encontramos pares do mesmo sexo, como poderia então a homossexualidade ser antinatural? No texto, antinatural é o que se contrapõe à procriação, entretanto, a homossexualidade não incapacita o homem e a mulher de terem filhos. A natureza do heterossexual o leva a se relacionar com o sexo oposto; a natureza do homossexual o direciona a se relacionar com o alguém do mesmo sexo. As pessoas que se envolviam nesses cultos não eram necessariamente homossexuais, mas homens e mulheres heterossexuais casados, sendo essas relações, primariamente, de natureza adultera e promíscua.

Conclusão:

Quando a Bíblia fala sobre atos sexuais entre pessoas do mesmo sexo, ela não fala no contexto que conhecemos hoje, da homoafetividade, termo que abrange muito mais do que o ato sexual em si, mas envolve todos os aspectos de um relacionamento afetivo entre duas pessoas: amor, respeito mútuo, companheirismo, projeto de vida, etc; ela está falando de homogenitalidade, contato sexual entre pessoas do mesmo sexo, mas sempre, observe, sempre num contexto de idolatria, promiscuidade e abuso. É necessário tomar as palavras no sentido original e dentro do contexto (assunto da passagem) sociológico em que a narrativa bíblica acontece. Os erros e abusos de interpretação bíblica acontece. Os erros e abusos de interpretação bíblica começam quando as pessoas não tomam esses cuidados, usando versos isolados de um conjunto maior (texto -livro) na tentativa de justificar os próprios preconceitos e condenar homens e mulheres a viverem oprimidos dentro das igrejas, ou longe de Deus, pelo simples fato de serem homoafetivas.
Ser gay não é pecado, mas ser gay e viver na promiscuidade sim. A Bíblia não fala explicitamente sobre muitos assuntos, como dinossauros, a masturbação e a homossexualidade. Ela foi escolhida por Deus como meio para revelar à humanidade quão grande e incondicional é o seu amor. Deus te ama como você é, mas ele não vai deixa-lo como está. Deus não quer vê-lo gastando sua vida com pecado, adulterando, fazendo sexo sem compromisso (fora de uma relação estável), pondo em risco sua saúde e sua salvação eterna.

Hoje, Deus te dá uma nova chance, para que você possa viver (ou voltar a viver) em intima comunhão com ele, sem sentir-se culpado por ser quem ele te criou para ser. Deus tem novidade de vida para você, e você tem a oportunidade de vivê-la na plenitude do Espírito Santo, usando seus dons e talentos para glória de Deus.

Em resumo: Gênesis: Sodoma e Gomorra - abuso sexual e inospitalidade; Levítico e Romanos: Prostituição Cultual; Coríntios e I Timóteo: Depravação e promiscuidade).

Igreja Evangélica Kairós - Av. Central, n 30 - Mangueira - Recife PE (em frente a estação do metrô de Mangueira)

Facebook.com/IEKairosMissao

Instagram: Igrejakairos

Atualmente existem várias Igrejas inclusivas no Brasil e no mundo passando a mensagem de amor e paz - Metropolitana, Cristã Contemporânea e Comunidade Athos são algumas delas. Mais amor nas igrejas seria bom demais né gente?!

Igreja gay? Entenda o real conceito da Kairós, que vem sendo seguido por muitos religiosos Igreja gay? Entenda o real conceito da Kairós, que vem sendo seguido por muitos religiosos Reviewed by Fala Berenice on 15:27:00 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.